Quintal bio

A começar pela terra



Tem um pequeno jardim ou quintal e quer começar a produzir legumes, vegetais, ervas aromáticas ou mesmo algumas frutas sem a adição de adubos químicos, pesticidas ou herbicidas?

Vive na cidade e tem um terraço ou uma varanda, e gostaria de poder participar no grande movimento da agricultura biológica?

E por onde começar? Pela terra! Pela preparação do solo onde vai fazer a sua plantação.

As plantas bem nutridas são mais resistentes a pragas e doenças, crescem melhor e mais robustas, as suas raízes, caules, folhas e frutos têm mais nutrientes e um sabor mais intenso!


A preparação do solo

Um dos princípios em que assenta a agricultura biológica é exactamente este: as qualidades e características do solo têm que ser excelentes! Deve ser abundante em matéria orgânica, bem limpa de ervas daninhas ou infestantes, e arejada!

Comece por escolher e demarcar uma pequena zona do seu quintal. Limpe-a muito bem de todas as ervas daninhas, arrancando fundo pelas raízes. Trabalhe a terra palmo a palmo de forma a remexer e arejar, até cerca de 15 cm de profundidade. Deixe repousar uns dias. Escolha um bom adubo biológico adequado, para aumentar o teor em matéria orgânica e junte-o enquanto volta a remexer o terreno, e retira as ervas daninhas que possam ter nascido entretanto.

Caso pretenda fazer uma plantação de hortícolas, a plantação de adubo verde na época anterior, como por exemplo o tremoço, é uma boa estratégia para enriquecer o solo e ir eliminado as ervas daninhas e infestantes. Este tempo de espera pode revelar-se afinal uma escolha muito acertada, pois desta forma o seu terreno fica bem limpo e preparado, de forma a lhe oferecer uma colheita abundante e deliciosa!

Se planeia a sua plantação no terraço ou varanda, adquira vasos ou cantareiras adequadas com um bom sistema de drenagem da água da rega ou da chuva e compre terra e adubo orgânico para agricultura biológica.



Compostagem

Os resíduos vegetais da cozinha, as folhas das árvores, os ramos mais finos das podas de arbustos e árvores, assim como os cortes da relva, são uma fonte de matéria orgânica preciosa para enriquecer o solo do seu quintal bio, depois de passarem, durante uns meses, pela compostagem.

No quintal, no terraço ou na varanda, escolha um local para fazer a compostagem.

Deve ser um local pouco exposto ao sol. A compra de um recipiente próprio para compostagem facilita muito o processo para quem está a dar os primeiros passos.

colocando, camada sobre camada, todos os resíduos vegetais dentro do compostor. Tenha o cuidado de nunca juntar carne ou peixe, porque estes alimentos irão atrair animais carnívoros para o seu quintal ou terraço. As cascas de citrinos devem ser evitadas pois tornam o composto demasiado ácido. As ervas daninhas com sementes também devem ser eliminadas, pois corre o risco de estar a contaminar toda a compostagem.

Por outro lado as cascas de ovos e borras de café são vantajosas.

Quando um compostor estiver cheio, mantenha-o fechado e comece a encher outro.

Ao longo das semanas a massa vegetal vai entrando em fermentação e decomposição, podendo mesmo aumentar de temperatura, o que é mais notório se lhe adicionar excrementos animais. A massa em compostagem nunca deve secar, pelo que no verão poderá ter de ser regada ou borrifada.

Passados 6 a 8 meses, quando toda a matéria estiver uniformemente desfeita, com uma cor escura e sem cheiro, está pronta a juntar ao solo agrícola e a voltar a entrar no ciclo de produção.

A prática da compostagem doméstica revela-se, sob o ponto de vista económico, duplamente vantajosa: por um lado, permite-lhe a si diminuir a quantidade de adubos orgânicos de que vai necessitar comprar para alimentar o seu quintal bio, e por outro lado, dá o seu contributo para diminuir a quantidade de lixo doméstico que terá de ser processado pelos serviços públicos da sua cidade.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a