Alimentação saudável Daniela Seabra

Clorela e Spirulina: a alga verde e a alga azul

Há alimentos que nos fazem bem, e há outros considerados super-alimentos, dados os benefícios que acarretam, como é o caso da clorela e da spirulina. Tratam-se de organismos unicelulares, sendo por isso invisíveis a olho nu e sendo apenas visíveis as grandes colónias que formam na água.

Ambas têm diferentes vantagens nutricionais e diferentes benefícios para a nossa saúde: possuem um teor proteico bastante considerável, e uma elevada quantidade de clorofila e de diferentes vitaminas e minerais.

Além das vantagens nutricionais, têm vindo a revelar ainda diferentes efeitos benéficos para a nossa saúde. Há quem diga que devemos juntar os dois para ganharmos ainda mais vantagens.

Vamos então conhecer melhor estes dois super alimentos.
 

Spirulina


Apesar de ser chamada de alga, não é uma verdadeira alga, mas sim uma cianobactéria ou alga –azul. Trata-se de uma bactéria um pouco diferente, pois tem clorofila e usa o sol como fonte energética, tal como as plantas e as "verdadeiras algas” fazem. Apesar doutras cianobactérias poderem ser tóxicas, não é de todo o caso da spirulina.

Apesar de ambas possuírem uma elevada quantidade de proteínas, a spirulina tem mais do que a clorela. A spirulina possui cerca de 60– 70% do seu peso seco em proteínas de elevada biodisponibilidade, possuindo todos os aminoácidos essenciais, sendo ainda de muito fácil digestão. Infelizmente, como normalmente se come pouca quantidade, este aporte proteico pode não chegar a ser considerado suficiente. Mas o seu teor em vitamina B12 têm um interesse elevado, em especial para os vegetarianos.

As grandes vantagens da spirulina são também a sua elevada riqueza em carotenoides , nomeadamente em ficocianina – o fitonutriente que lhe dá a cor azul e que tem revelado importantes capacidades antioxidantese diferentes efeitos benéficos para o nosso organismo, nomeadamente melhoria do sistema imune, melhoria dos níveis de colesterol e diminuição do stress oxidativo.

A spirulina é ainda rica noutro importante antioxidante chamado superóxido dismutase A spirulina possui ainda quantidades consideráveis de GLA, um ácido gordo com diferentes efeitos benéficos.

O seu sabor pode ser considerado por muitos como uma desvantagem, pois o seu forte sabor a algas é difícil de disfarçar... ou se gosta ou não. Deve-se ter ainda cuidado com a sua origem, pois a spirulina oriunda de águas contaminadas pode possuir parte desses contaminantes.

Dada a sua riqueza em vitamina K, quem faz anticoagulantes deve tomar algumas precauções como já falamos anteriormente.

Clorela


Esta alga é também muito rica do ponto de vista nutricional, e apesar de possuir um teor proteico mais baixo que a spirulina, possui uma capacidade incrível para se unir a metais pesados e outras toxinas ambientais, nomeadamente dioxinas e alguns pesticidas. É por isso usada em muitos regimes desintoxicantes, atuando principalmente a nível do trato gastrointestinal, mas também a nível sistémico. Revela ainda capacidade de melhor o perfil lipídico.

A sua riqueza nutricional e desintoxicante apenas se revela quando se rompe a sua membrana exterior, algo impossível de ser feito pelas nossas enzimas gastrointestinais. Assim sendo, a melhor forma de consumir clorela é através de suplementos (em pó ou em comprimido) onde previamente foi rompida essa membrana, caso contrário, a clorela que consumiu vai entrar e sair do trato gastrointestinal, sem poder usufruir dos seu efeitos benéficos.

Deve-se ter muita atenção à origem da clorela que está a consumir, pois dada a capacidade desta alga em reter metais pesados e outros tóxicos, se a água onde foi produzida estiver repleta destes compostos, a clorela também vai estar.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a