Segredos de saúde alimentar Filomena Vieira

Coma couves. Elas têm propriedades anticancerígenas.

É considerado como um super alimento!

As couves pertencem á família das Brassicáceas ou Crucíferas. No nosso país, existem numerosas espécies de couves : galega, repolhos, couve-flor, brócolos, tronchuda ou couve portuguesa, couve de Bruxelas, couve nabiça.

São consideradas super-alimentos (saiba mais) pois são ricos em Vitaminas A,C, K, cálcio, ácido fólico, fibras, carotenos, glucosinolatos e indóis.

As couves são compostas por glucosinolatos que podem ser transformados em isotiocianatos de 2 modos:
  • por acção de bactérias intestinais que se alimentam destes fitoquímicos e quando são esmagados ou cortados.

  • Com exposição à luz, produzem uma enzima, mirosinase, que transforma os isotiocianatos em sulforafanos. A cozedura destes vegetais eliminam esta enzima e por isso devem ser consumidos cozidos a vapor, crus ou germinados.
Os sulforafanos são fitoquímicos ricos em radicais súlfur. Os alimentos ricos em sulfur combatem o stress oxidativo (saiba mais), beneficiam as mitocôndrias e eliminam toxinas. Têm propriedades anticancerígenas, estão presentes em quantidades generosas nas nos brócolos, couves flor no repolho, couve de Bruxelas.

Como estes fitoquímicos actuam?

Existem vários estudos científicos na área do cancro que demonstraram que as células estaminais do cancro são cruciais para a formação de tumores e para a sua propagação. A quimioterapia e radioterapia, por vezes, são incapazes de anular estas células.

Citando algunsestudos científicossobre esta materia, como por exemplo, um estudo publicado na revista Clinical Cancer Research referente ao cancro da mama que refere "..os sulforafanos têm capacidade de inibir as células estaminais do cancro da mama”.

Outro estudo na revista Molecular Therapy, diz o seguinte "os sulforafanos aumentam a citotoxidade das drogas contra as células estaminais do cancro do pâncreas e próstata”.

A terapia combinada com drogas citotóxicas e sulforanos têm efeito positivo sobre o crescimento tumoral.

Os sulforafanos estão envolvidos na redução de enzimas como a desacetilase-histona. A inibição destas enzimas promove a metilação do ADN e função reparadora natural dos genes.

Na revista cientifica "Intregative Medicine” vem publicada uma entrevista com o Drª Elenor Rogan, investigadora da Universidade de Nebraska, que revela a descoberta na área do metabolismo dos estrogénios, dois tipos de estrogénios, com metabolismo diferente, dependendo da posição OH estar na posição 2 ou 4, sendo o 4-catecolestrogenio fortemente cancerígeno. Esta forma reactiva, destroem o ADN, retirando bases purínicas, permitindo o ataque de carcinogéneos e causar mutações.

Tóxicos ambientais (saiba mais) como os pesticidas e os plásticos, são produtores de dioxinas (saiba mais) que já se encontram na cadeia alimentar, causam graves prejuízos na saúde humana. O consumo de tabaco também produz dioxinas e daí o grande potencial carcinogénico.

A tetraclorodibenzidioxina é metabolizada no fígado pelo sistema citocromo P450. Polimorfismos genéticos podem alterar este metabolismo e estimular a produção de hormonas, predominantemente, 4-catecolestrogenios, afectando tecidos extra-hepáticos como a mama, endométrio e a próstata.

Os indois presentes nos vegetais como brócolos, couve flor, repolhos estimulam enzimas que produzem estrogénios com menor potencial cancerígeno.

O consumo de couves pode trazer grandes benefícios, ajudam a restaurar o equilíbrio hormonal, mas consumidas em excesso e por longos períodos podem impedir a absorção de iodo e causar danos na tiróide.

Para saber mais:
Clinical cancer research-Sulforaphane, a Dietary Component of Broccoli/Broccoli Sprouts, Inhibits Breast Cancer Stem Cells
Molecular Therapy (2011) 19 1, 188–195. doi:10.1038/mt.2010.216-Sulforaphane Increases Drug-mediated Cytotoxicity Toward Cancer Stem-like Cells of Pancreas and Prostate
www.nature.com
docs.abcam.com
Integrative Medicine. Vol.10, nº1. Fev/Mar 2011

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a