Fitoterapia Daniela Seabra

Conheça algumas plantas que o podem ajudar a relaxar

Todos sabemos a importância de uma boa noite de sono, em especial todos aqueles que têm dificuldades em consegui-la.

Esta situação não é nova e desde há muitos anos que o Homem se apercebeu que algumas plantas existentes na natureza nos podiam ajudar a relaxar para conseguirmos adormecer, nomeadamente a Valeriana, a Passiflora e a Matricaria (mais conhecida por Camomila).


Valeriana (Valeriana officinalis)

Esta planta de tamanho pequeno e com flores brancas já há muito que é conhecida pelas suas capacidades relaxantes e ansiolíticas, sendo usada há mais de 2000 anos, desde o tempo da antiga Grécia e Roma, e os seus usos terapêuticos foram inclusive descritos por Hipócrates.

Das suas raízes é obtido um extrato fitoterápico com resultados comprovados para diminuir os níveis de ansiedade e combater a insónia e que parecem ser capazes de regular alguns receptores cerebrais envolvidos na promoção e regularização do sono.

Esta planta
possui inúmeros compostos químicos com princípios ativos. Os seus efeitos parecem decorrer do efeito conjunto dos diferentes princípios, e não apenas de alguns isolados. Destes constituintes podem-se destacar os monoterpenos, os sesquiterpenos e os ácidos carboxílicos sesquiterpénicos menos voláteis como os ácidos valerénico, acetoxivalerénico e hidroxivalerénico, aos quais têm sido mais associados os efeito relaxantes da valeriana a nível do sistema nervoso central.

Dados os seus efeitos comprovados, é muitas vezes usado na transição na descontinuação da toma de alguns fármacos, como as benzodiazepinas e os seus efeitos na indução do sono são ainda comparáveis ao oxazepam.

Atualmente está disponível sob a forma de comprimidos e é comercializado por diferentes empresas, sendo relativamente fácil de encontrar.


Passiflora (Passiflora incarnata)


A Passiflora ou flor da paixão é mais conhecida entre nós pela sua fruta de sabor intenso, que é o maracujá, sendo por isso também conhecida como a flor de maracujá.

Para além os diferentes usos gastronómicos da sua fruta, as suas folhas desde há muito são usadas na melhoria dos sintomas de ansiedade (que já foram comparados ao diazepam) e na melhoria da qualidade do sono, sem causar habituação ou dependência. Existem diferentes espécies, mas as mais usadas como suplemento nutricional são a Passiflora incarnata e a Passiflora edulis, e estas podem ser encontradas sob a forma de chás, ou cápsulas.

A passiflora possui diferentes compostos, incluindo alcaloides (como a harmina, harmol, harmalina e harmalol), fenóis, flavonoides (como vitexina ou a crisina) e compostos cianogenicos glicosil.

Dado o seu efeito em diminuir a tensão arterial, o seu uso está desaconselhado a todos aqueles que têm uma tensão arterial mais baixa.



Camomila (Matricaria recutita)

De todas, esta é provavelmente a planta mais usada sob a forma de infusão para relaxar e diminuir a ansiedade. Já desde há muito anos que as suas folhas e flores são usadas devido aos efeitos relaxantes que proporcionam, para além do seu suave sabor e aroma.

Dos seus constituintes destacam-se os seus óleos essenciais (que possuem sesquiterpenos, sesquiterpenelactonas (incluindo o camazuleno), matricina, flavonoides (como a apigenina ou a quercetina), cumarinas (como a herniarina e umbeliferona) e taninos. É normalmente usada sob a forma de infusão e tomada ao final do dia ou antes de dormir, sendo também possível encontrar os seus extratos sob a forma de suplemento.

Apesar dos efeitos descritos para cada uma destas plantas, quando estamos a falar do suplemento é fundamental garantir a qualidade do produto usado, pois só assim é possível garantir a presença dos diferentes princípios ativos que proporcionam os efeitos descritos.

Se está a pensar usar estas plantas sob a forma de suplemento, recomenda-se o acompanhamento por um profissional qualificado, em especial se o pretende tomar em conjunto com medicamentos que também atuem a nível do sistema nervoso central.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a