Psicologia positiva Paula Costa

Dormir de dia o que não dormiu à noite



Durante o sono, o cérebro desliga-se do ambiente exterior e analisa todas as suas funções e estruturas anatómicas, bem como as secreções que precisa de libertar. Por outro lado, repara lesões que podem aparecer e complicar a actividade cerebral. Quanto à memória, esta é também sujeita a compilação, catalogação e armazenamento de modo a conseguir, em qualquer altura, recuperar e usar essa mesma informação.

O sono e a sua qualidade estão associados a alguns mitos. Um deles diz respeito à possibilidade de ao fim de semana podermos compensar as horas de sono suprimidas ao longo da semana.

Investigações recentes apontam para dados que demonstram que essa recuperação não abrange todos os efeitos adversos causados pelo sono perdido. Os resultados dos testes de desempenho que avaliam a capacidade de atenção dos participantes deterioram -se significativamente após a restrição do sono e não melhoraram após a recuperação. O estado de alerta e o bom desempenho das funções cognitivas podem não ficar normalizados devido a danos irreversíveis a nível dos neurónios.

A pessoa não consegue recuperar o que perdeu nas horas finais do sono, embora tenha a sensação que sim. Por exemplo, a sonolência desaparece após uma sesta ou um sono de recuperação fazendo-nos acreditar na inexistência de problemas face á supressão de horas de sono.

No entanto, o organismo humano não reage matematicamente e nem sempre responde pelo número total de horas somadas após períodos de recuperação.

A pessoa ao dormir menos que o necessário para suas necessidades de sono, após algum tempo começa a manifestar sonolência diurna, falta de atenção e memória, mau rendimento escolar e no trabalho, por exemplo. É importante reforçar que o dormir até mais tarde ao fim de semana pode afectar negativamente o seu ciclo sono-vigília.
Associada à questão das desvantagens dos comportamentos de recuperação está a ideia de que dormir não depende da hora. No entanto, a ciência aponta para a evidência de que dormir à noite é mais reparador do que de dia.

Portanto, o ciclo de sono/vigília deve processar-se naturalmente e sem grandes alterações de forma a evitar riscos para a sua saúde. Exige preparação, um ambiente adequado e também conhecimento.

O sono constitui um fator não só de saúde individual mas também de saúde pública.


Esmeraldazul, para uma vida saudável, consciente e sustentável! 


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a