Psicologia positiva Paula Costa

Férias em família? Sim!



Em muitas famílias as férias escolares (as chamadas férias grandes) tornam-se num problema pois muitas vezes não são, na sua totalidade, coincidentes para todos os elementos da família.

Período tão esperado por pais e filhos é muitas vezes um momento de alguma angústia para os pais face à impossibilidade de estarem, como desejariam, com os seus filhos.

Encontrar alternativas e tomar decisões saudáveis para toda a família é um desafio para iniciar o Verão de forma positiva e criativa!

A forma como as famílias consideram a possibilidade dos campos de férias, férias com amigos, férias com elementos da família alargada revela um pouco da sua dinâmica e de como são trabalhados e sentidos os processos de autonomia e de separação.

Mas será que eles ficam bem? E se acontece alguma coisa? Será que não vão estranhar? Estas perguntas, muitas vezes partilhadas com os filhos, resultam de caraterísticas pessoais e estilos parentais nem sempre saudáveis. Tornam- se, para alguns, hipóteses temidas e, por isso, dificilmente ponderadas!

Lembremos os perigos de cuidadores evitantes /ansiosos e controladores para o desenvolvimento sócio- cognitivo: o processo de separação- individuação e de relação emocional e social com o outro é negativamente influenciado resultando em crianças dependentes, agressivas, com menos competências de confronto e, por isso menos felizes.

Estimular os seus filhos a serem independentes, a terem crítica sobre as suas ações significa prepará-los para a sua vida pessoal, para enfrentar o mundo real e torná-los seguros de si mesmos! Não podemos esquecer que desta autonomia e desta maturidade resultam as características positivas do individuo.

É normal e saudável cuidar e prevenir do bem-estar físico e emocional dos seus filhos mas, a preocupação excessiva é stressante e improdutiva.

Algumas sugestões para pais demasiado preocupados:
  • Perante as dificuldades não as ignore. Tente resolvê-las e minimizá-las.
  • Conheça e lide com os factos.
  • Não veja problemas onde eles não existem. A preocupação excessiva distorce a realidade.
  • Não antecipe situações de desconforto para os seus filhos. Cria- lhes ansiedade e medo.
  • As dificuldades (medos) para os pais não são percecionadas da mesma forma pelos filhos.
  • Eduque, não assuste.
  • Saiba avaliar as competências dos seus filhos.
  • Cuide também do seu bem-estar. Se os seus filhos se ausentarem, e mesmo que esteja a trabalhar, aproveite para ter um tempo diferente para si.
Permitir às crianças e aos jovens nas suas férias escolares novas vivências em grupo e troca de experiências, bem como o conhecimento de um meio físico/ social e cultural diferente do seu meio habitual, é uma atitude responsável e uma ótima experiência desenvolvimental para férias.

Férias em família? Sim! Mesmo que não fisicamente perto essa proximidade pode ser garantida por algo mais forte. A capacidade de ser autónomo e de confiar!


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.