Fitoterapia Helena Santos

Harpagophytum ou unha-do-diabo: um anti-inflamatório natural

O que é o Harpagophytum?

O harpagófito, garra-do-diabo ou unha-do-diabo diz respeito ao Harpagophytum procumbers que é uma planta rastejante originária das savanas da Namíbia, Botswana e África do Sul. O nome "unha do diabo” provém da sua forma e do facto de os frutos desta planta ficarem agarrados aos animais que passam por perto para que as sementes possam ser distribuídas pelo território. Mas é na raiz e tubérculos que se encontram efeitos medicinais.

Os constituintes ativos desta planta são iridóides, nomeadamente, o harpagósido e harpagido mas também possui flavonóides e fitoesteróis entre outros compostos.

É aos compostos ativos que se deve a ação anti-inflamatória.  O harpagósido e outros glicosídeos iridóides atuam de forma a diminuir mediadores inflamatórios como a COX 2, TNF-alfa e Interleucina-6, função que também é levada a cabo quando tomamos medicação anti-inflamatória.

Para que serve?

O extrato de Harpagophytum é anti-inflamatório e os seus melhores efeitos são a nível articular, principalmente em casos de osteoartrite. Estudos científicos revelam redução da dor, consequente da redução de inflamação. Está descrito que pode haver a diminuição da toma de anti-inflamatórios já que a dor articular é aliviada.Efeitos menos relevantes são encontrados também no alívio de enxaquecas, aumento de apetite, melhoria da digestão, dor muscular e mesmo melhoria da pele quando usada diretamente.
 

Antes de tomar, informe-se bem. Confirme que não está a tomar medicação que possa interagir com a suplementação. Alguns medicamentos são especificamente decompostos no fígado e podem ser metabolizados mais lentamente durante a suplementação com Harpagophytum, tendo por isso os seus efeitos desejados e indesejados potenciados.

Exemplos:
- Medicamentos metabolizados pelo Citocromo P450 2C19 (CYP2C19) – exemplos: omeprazol e outros protetores gástricos, diazepam;
- Medicamentos metabolizados pelo Citocromo P450 2C9 (CYP2C9) – exemplos: anticoagulantes, Voltaren;
- Medicamentos metabolizados pelo Citocromo P450 3A4 (CYP3A4) – exemplos: Lovastatina, Nizoral.


Que dosagens?
- Para osteoartrite sugere-se a utilização de cerca de 2,5g/dia de Harpagophytum. Suplementos desta dosagem terão cerca de 50-60mg de harpagósido e 80-90 mg mg de iridóides glicosídeos totais.

- Para a dor de costas: será mais adequado um suplemento com 50-100mg de harpagósido.


Para alívio de dor das costas ou da dor em qualquer parte do corpo proveniente da existência de osteoartrite, o Harpagophytum parece ser uma opção natural bastante viável e é uma forma de fugir aos efeitos secundários da medicação anti-inflamatória.
EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a