Eu consciente Sofia baptista

Hidrofobia: o medo da água tem solução

A hidrofobia é uma fobia bastante comum e é caracterizada pelo medo excessivo ou irracional de água, variando o seu grau, de pessoa para pessoa.

Ou seja, algumas pessoas têm medo quando vêem águas com marés mais fortes, ou medo de entrar na água do mar, enquanto outras tremem ao olhar para piscinas e banheiras.

Mesmo quando a água não representa uma ameaça (como visualizar uma piscina), sensações de pânico, terror, ansiedade, taquicardia, náuseas, hiperventilação (respiração rápida e profunda), tremores, ocorrem nos indivíduos hidrofóbicos, que podem inclusive desmaiar. Algumas vítimas de hidrofobia podem ainda evitar entrar numa simples banheira de hidromassagem ou até mesmo evitar chuveiros, em casos mais extremos.

A água é uma parte inata da vida humana. Existe água na maior parte das rotinas da nossa vida, desde o banho quotidiano, até às piscinas, férias na praia, à beira-rio, etc. O próprio ato de nadar é subjacente à vida humana, sendo a natação incutida desde que somos pequeninos.

Neste sentido, ter medo de água pode ser limitativo. Fazer viagens pelos litoral, ir à praia, para a piscina, fazer piquenique nas proximidades de um lago, etc, são atividades que causam desprazer a quem tem hidrofobia.

Causas

As causas da hidrofobia podem estar relacionadas com algum um evento traumático que a pessoa sofreu na sua vida, como presenciar alguém a afogar-se, um amigo pregar-nos uma partida na piscina que não corre bem, ou qualquer experiência dentro ou perto de água que tenha causado medo e angústia e consequentemente desenvolveu este medo.

O medo pode-se agravar quando vemos filmes, livros ou notícias de casos de afogamento.

Além disto, pode ser ocasionada devido a fatores genéticos, onde o indivíduo possui uma predisposição maior para desenvolver este tipo de transtorno.


Como tratar?

 A hidrofobia pode ser tratada através de psicoterapia. A técnica de dessensibilização sistemática é uma opção muito utilizada, expondo aos indivíduos o objecto de sua fobia (água) aos poucos, até que se sintam mais confiantes em relação aos seus medos e possivelmente cheguem à cura.

Esta técnica pode começar com a visualização de fotografias ou desenhos de água, mostradas lentamente até que cheguem a um estágio onde seja possível visitar uma piscina ou praia. Ao longo do tempo, uma série de pequenos sucessos irá aumentar a sua confiança, permitindo que se adicionem gradualmente novas atividades relacionadas com a água.

Além disto, hipnoterapias têm sido eficazes no tratamento, como também o uso de medicamentos em casos mais extremos, para controlar a ansiedade.

Faça algo já hoje, informe-se sobre hidrofobia e marque o dia em que vai começar a sua mudança!

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a