Aprender sempre! Cristina Sales

Insónia do meio da noite – a causa começa no dia anterior!

Uma noite de sono tranquilo, repousante e recuperador é indispensável para que o dia seguinte possa ser um dia fantástico.

Às vezes o sono não é totalmente recuperador. As razões associadas ao estilo de vida são múltiplas e podem ser corrigidas.
Mas quando há insónia, é frequente haver desequilíbrios de hormonas ou neutrotramissores.

Pode ser-lhe muito útil saber o seguinte:


Insónia inicial

Pode estar associada a uma deficiência de melatonina.
A melatonina é a substancia que prepara o corpo para adormecer.
Se tem insónia inicial pode ser importante fazer a medição do seu biorritmo da melatonina.  
Caso se confirme que não tem o nível equilibrado de melatonina pelas 22h, o tratamento mais adequado é a toma de melatonina pelas 22h.


Insónia no meio da noite

Habitualmente está associada à libertação de uma grande quantidade de adrenalina durante o dia anterior.

Neste caso, a forma como viveu o dia anterior entra pela noite dentro e vai perturbar o seu sono. A adrenalina mantendo-se elevada durante a noite vai despertar a pessoa assim que o nível da melatonina começa a baixar, entre as 3h e as 4 h da madrugada.

A adrenalina é produzida em grande quantidade quando o seu sistema emocional interpreta uma situação como de extremo perigo perante a qual vai ter que fugir ou lutar. Ora, muitos dos desafios da vida profissional, acontecimentos da vida pessoal, ou mesmo situações de lazer, como desportos radicais, levam à libertação de adrenalina em quantidades consideráveis.

Se reconhece nesta a causa da sua insónia, então beneficiará com:

- Reconsiderar alguns aspetos da sua vida;

- Desenvolver técnicas de gestão de stress;

- Fazer relaxamento;

- Mindfulness;  

- Tomar alguns nutracêuticos;
 
- Usar os benefícios da planta adaptógena Ashwagandha;

- Beber um chá calmante antes de se deitar.

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

Este texto foi publicado em 2013-08-09 na Quinzena Noite & Dia


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a