Segredos de saúde alimentar Daniela Seabra

O que são os Óleos de primeira pressão a frio?

Quem já entrou nas lojas de produtos biológicos ou começou a ler sobre alimentação saudável, muito provavelmente já se deparou com os óleos de primeira pressão a frio.

Normalmente comercializados em embalagens pequenas de vidro escuro, e que podem ser por exemplo de noz, de avelã ou mesmo de cânhamo.

Hoje vamos conhecer melhor estes óleos, quais as suas vantagens e como podem ser usados.

As frutas e as sementes oleaginosas (como azeitona, noz, amêndoa, avelãs, girassol, entre outras) são ricas em gordura, algumas delas essenciais para o funcionamento do nosso organismo.

Podemos consumi-las diretamente através do consumo destas frutas e sementes (exceto a azeitona que tem de ser preparada antes), ou podemos consumir apenas os seus óleos, e para isso temos de os extrair, e a melhor forma é através dos óleos de primeira pressão a frio.

Um óleo de primeira pressão a frio é exatamente o que diz ser: um óleo obtido por extração mecânica (pressão) a frio.

Neste óleos a extração é feita a partir da prensagem das frutas e sementes oleaginosas, mediante processos de fabrico controlados, que nunca chegam a exceder os 40ºC. É este o processo normalmente usado para produzir o azeite virgem extra.


Riqueza nutricional

Ao serem obtidos por uma extração mecânica a baixas temperaturas, os óleos de primeira pressão a frio vão possuir as gorduras essenciais em estado puro, e repletas de diferentes nutrientes contidos nas frutas e sementes oleaginosas originais, sendo por isso de elevada riqueza nutricional.

Os óleos de primeira pressão a frio, ao serem feitos a partir da noz, da avelãs, da amêndoa, das sementes de linho e de outras sementes vão uma quantidade apreciável de gorduras ómega 3 e de outros constituintes antioxidantes e anti-inflamatórios.

Como utilizar

Para manter a qualidade nutricional dos óleos de primeira pressão a frio, e poder usufruir de todas as suas vantagens nutricionais deverá também usá-los a frio. Desaconselhamos por isso que cozinhe com estes óleos (exceção feita para o azeite e os óleos de coco), e que os use apenas para temperar saladas frias, para adicionar a batidos, ou mesmo para colocar sobre outras comidas consumidas frias ou a temperaturas moderadas. Desaconselhamos que os use em alimentos quentes.

Prazo de validade

Os óleos de primeira pressão a frio têm um prazo de validade relativamente curto (de apenas alguns meses). São normalmente vendidos em embalagens pequenas e de vidro escuro, para que seja possível manter a qualidade do óleo. A sua fragilidade é tal que após abertos devem ser consumidos no máximo em 2 meses, e deve conservá-los fechados, preferência no frigorífico.

Comparativamente, os óleos refinados são normalmente extraídos através de uma prensa de alta pressão, e alguns são ainda submetidos a um processo de extração mediante o uso de solventes químicos sendo posteriormente refinado.

São formas bem mais eficazes e rentáveis, pois retiram bem mais quantidade de óleo a partir das sementes usadas, mas faz com que sejam atingidas temperaturas mais altas - o que pode alterar a estrutura dos ácidos gordos e de outros constituintes sensíveis ao calor.

Além disso, os óleos refinados ao serem principalmente de girassol, milho ou soja têm um elevado teor em gorduras ómega 6, mais associadas ao agravamento de processos inflamatórios, e por serem refinados estão praticamente isentos de eventuais compostos benéficos contidos nos alimentos originais.

Aconselhamos por isso que prefira sempre óleos de primeira pressão a frio. Cozinhe com azeite, e tempere as suas saladas com óleos de primeira pressão a frio. Dado o seu curto prazo de validade recomendamos que compre apenas garrafas pequenas, abra apenas uma e termine-a no máximo em dois meses. Recomendamos que comece com um óleo de noz ou de avelã, pois o seu sabor mais suave vão dar um toque delicioso às suas saladas.

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.



0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a