Alimentação saudável Daniela Seabra

Alimentos germinados – o que são e quais as vantagens

Se pretender aumentar a sua ingestão de nutrientes através de alimentos facilmente digeríveis, está na altura de conhecer os alimentos germinados.
Considerados alimentos "vivos”, os alimentos germinados são de fácil digestão e são verdadeiras concentrações de nutrientes e enzimas, possuindo mais nutrientes que o alimento original e de uma forma bem mais digerível.


O que são alimentos germinados?

Os alimentos germinados, ou rebentos, são os grãos, as sementes e as leguminosas que deram inicio ao processo de criação de uma nova planta. Os grãos e as sementes de uma determinada planta são verdadeiras concentrações de nutrientes, e de certa forma "adormecidas” e à espera das condições ideais para se desenvolverem.  Quando lhes damos a água, o oxigénio e uma determinada temperatura, este alimento dá inicio a diferentes processos bioquímicos que tem como finalidade a criação de uma nova planta.


Quais as vantagens?

Ao dar inicio ao processo de germinação, a semente produz diferentes compostos e altera a estrutura dos seus constituintes que terão como objetivo criar e alimentar a nova planta. O alimento germinado será assim de mais fácil digestão, muito mais rico do ponto de vista nutricional, e terá menos factores antinutricionais (compostos que impedem a absorção de alguns nutrientes), aumentando desta forma o seu valor nutricional.

O seu teor vitamínico e mineral e a biodisponibilidade de alguns destes nutrientes pode aumentar entre 200 – 600%! Ocorre ainda um aumento do teor em proteínas e o valor biológico destas.   
Com a germinação ocorre ainda a degradação de diferentes constituintes do grão/ semente, tornando-se bem mais fácil de digerir.


Quais os alimentos que podem ser germinados?

Os alimentos a germinar são normalmente grãos de cereais, leguminosas ou sementes, e cada um destes vai ter diferentes tempos de germinação, assim como diferentes sabores.

Pode germinar cereais como o trigo, o trigo espelta, a cevada, o arroz, o trigo sarraceno,  ou mesmo o centeio. A partir destes grãos germinados pode ainda fazer o pão dos essénios.
Esta germinação pode terminar quando a planta começa a crescer e tiver pelo menos, o tamanho da sementes ou do grão que a originou, ou continuar até a planta crescer um pouco mais e usá-las em smoothies ou sumos, com é o caso da erva trigo.

Podemos ainda germinar leguminosas como a alfafa, soja, feijão mungo, grão, ou lentilhas, e podem ser consumidos em saladas ou outros pratos frios. Os exemplos mais conhecidos são os rebentos de soja ou de alfafa, já há venda em diferentes locais.

Pode ainda germinar oleaginosas como nozes, amêndoas, avelãs ou sementes de girassol ou de abóbora: o valor nutricional da sementes aumenta consideravelmente, além de se tornar bem mais digerível.  

Saiba aqui como germinar em casa.

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.
 
0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a