Aprender sempre! Núcleo de Medicina

Quais os sentidos da paixão?


Saiba que a visão é, provavelmente, a fonte de estimulação sexual mais importante que existe. No ser humano, os sinais mais visíveis de uma atração manifestam-se na face, particularmente nos olhos. A título de exemplo, a dilatação da pupila é considerada um sinal visual relevante, na medida em que não depende da vontade e, portanto, não pode ser controlado. Sob a influência de emoções fortemente agradáveis, a pupila torna-se maior.

Há ainda outra alteração nos olhos que ocorre sob emoção intensa: um pequeno aumento na produção de lágrimas.

O olhar brilhante dos apaixonados é uma consequência dessa transformação fisiológica.

Nós olhamos e gostamos. Já os homens primitivos quando procuravam procriação, perseguiam sempre a fêmea que os atraia (inicialmente) através da visão. No entanto, no caso da mulher, é atraída pela visão, mas não é o olhar que define tudo. Para as mulheres é importante visualizar também o aspeto emocional do homem, tal com a sua cultura, o humor, entre outras características.

A mulher demora mais tempo a apaixonar-se que o homem, pois necessita de avaliar a componente emocional do companheiro.



A pele é o maior órgão do ser humano. A exploração do toque desperta emoções, memória, e imaginação. Em matéria de tato, as mulheres são mais sensíveis ao toque do que os homens.

Alguns estudos defendem que a explicação pode ser biológica, dando o exemplo de que na era primitiva, enquanto o homem ia caçar, a fêmea ficava em casa a cuidar dos filhos. Por causa disso, o homem precisava de uma pele mais espessa para protegê-lo de possíveis ferimentos durante a caçada.

Existem cerca de cinco milhões de recetores do tato na pele – só as pontas dos dedos têm cerca de 3000 que enviam impulsos nervosos ao cérebro através da medula.
O tato é provavelmente o mais primitivo dos sentidos.

O contacto físico é a forma de comunicação mais íntima e intensa dos seres humanos, segundo alguns estudos, até os mais insignificantes contactos físicos têm notáveis efeitos. O contacto desencadeia uma corrente elétrica que viaja através da medula espinal e chega ao cérebro, libertando mais endorfina. A endorfina atua no sistema límbico, que é a área do cérebro responsável pelo prazer.



Um beijo combina os três sentidos de tato, paladar e olfacto. Favorece o aparelho circulatório, aumenta de 70 para 150 os batimentos do coração e beneficia a oxigenação do sangue. Sem esquecer a sensação de bem-estar que proporciona.

As terminações nervosas reagem ao estímulo erótico e promovem uma reação em cadeia. Ao mesmo tempo, as células olfativas do nariz – mais próximas da boca – permitem tocar, cheirar e degustar o outro.

 

Atualmente existem evidências (um pouco controversas) de que os seres humanos podem comunicar através de sinais bioquímicos inconscientes. Os cientistas que defendem a existência das feromonas, assumem que estas podem sinalizar interesses sexuais, situações de perigo, entre outros.

Não há duas pessoas que possuam exatamente o mesmo cheiro, embora haja algumas semelhanças entre membros de uma mesma etnia. O odor corporal é fortemente influenciado pelo tipo de alimentação e influencia as nossas preferências por certos aromas.

O cheiro da pessoa amada é um bálsamo estimulante, quase uma droga que mexe com o cérebro e com o corpo. Isso ocorre porque as moléculas que emanam da pessoa vão pelo nariz e quando entram em contacto com as hormonas olfactivas, a informação é transmitida para o cérebro. Nesse preciso momento em que se fundem sensações e memórias, o hipocampo regista a imagem do companheiro e um determinado cheiro passará a estar sempre ligado à sua imagem. Já não experimentou esta sensação?

Além disso, surpreenda-se, as moléculas do cheiro também revelam várias coisas a nosso respeito, como por exemplo, como está a nossa saúde, hábitos, alimentação e nossa origem. Desse modo, o cérebro pode detetar a compatibilidade genética, ou seja, o nariz é capaz de escolher o melhor parceiro para a reprodução, que é aquele com genes imunológicos diferentes dos nossos, para que a próxima geração seja mais resistente a doenças.

Outro aspeto bioquímico relacionado ao cheiro é que a pessoa nesse estado excreta pelo cheiro substâncias químicas que permitem a comunicação e a atração com outro ser da mesma espécie. A essas substâncias é dado o nome de feromonas.

Em praticamente todas as sociedades humanas, o uso de frases e canções amorosas constitui um dos preliminares mais habituais, com solicitação sexual. De acordo com investigações do Krasnow Institute for Advanced Study of George Mason University, não só as primeiras palavras, mas também os tons de voz deverão responder aos padrões de saúde e genética desejados na escolha do(a) parceiro(a).


Desta forma, ficamos a perceber como os nossos sentidos se alteram e intensificam quando nos apaixonamos.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a