Eu saudável Núcleo de Medicina

Red Yeast Rice - Ajuda a baixar o colesterol

O Red Yeast Rice - Arroz Vermelho Fermentado – é um produto alimentar resultante da fermentação do arroz pelo fungo Monascus purpureus.

É usado, desde há milénios, pelos povos asiáticos na culinária para conservar, condimentar e colorir, com a sua cor vermelho escarlate, pratos de peixe, tofu e vários tipos de bebidas.

Ao Red Yeast Rice os povos asiáticos atribuem capacidades medicinais de aumentar a vitalidade e "revigorar o sangue".

Vários métodos de fermentação do arroz

Para a obtenção deste corante e condimento alimentar vermelho, tradicionalmente a fermentação do arroz pode ser feita segundo várias técnicas que darão origem a produtos com algumas diferenças. São dois exemplos:
  • Zhitai – obtido pela fermentação do grão de arroz completo usando várias estirpes de Monascus purpureus,

  • Xuezhikang - Fermentação do grão com álcool por estirpes selecionadas de Monascus purpureus e remoção do glúten.

Red Yaest Rice e "..statinas”

Nos anos 70, o japonês Professor Akira Endo, na sua investigação da ação dos produtos fermentados sobre a formação do colesterol, estudou a fermentação controlada do arroz por estirpes selecionadas de Monascus purpureus e isolou o seu princípio ativo que denominou MonacolinK, que mostrou ter a capacidade de diminuir o nível de colesterol no sangue.

Na mesma época, investigadores americanos estudaram a fermentação do arroz por outro fungo, o Aspergillus. Do produto desta fermentação isolaram um princípio ativo que denominaram Mevastatin patenteada pela farmacêutica Merck. Foi primeira da família das estatinas, os conhecidos fármacos que reduzem os níveis de colesterol.

Curiosamente, veio a verificar-se que a Mevastatin e a Monocolin K eram muito idênticas a tinham a mesma ação no corpo humano: inibem a ação da enzima HMG-CoA redutase. A inibição desta enzima faz diminuir a síntese de colesterol e, assim, diminui o nível sanguíneo de colesterol.
  • O Mevastatin foi patenteada pela indústria farmacêutica e os seus sucedâneos registados como fármacos.
  • O MonacolinK, bem como todos os Red Yeast Rice, ficaram a pertencer à família dos suplementos nutricionais.

Composição dos Red Yeast Rice

Sendo um produto fermentado natural, a composição dos Red Yaest Rice é muito variável.
Habitualmente têm na sua composição várias monocolinas diferentes entre as quais existe uma percentagem de Monocolin K, cujo efeito anti-colesterol está bem estudado.

Pensa-se e que as várias monocolinas naturais e alguns fitoesterois presentes no Red Yeast Rice poderão ter algum efeito de sinergia nos benefícios cardiovasculares, uma vez que o seu efeito cardio-protetor é conseguido com doses de ManocolinK inferiores às necessárias para as "statinas”.


Efeitos benéficos do Red Yeast Rice
Proteção cardiovascular por diminuição dos níveis sanguíneos de colesterol quer na prevenção primária de enfartes ou AVC quer na diminuição de recidivas.

Dose recomendada

Habitualmente é recomendada toma diária entre 1200 mg to 2400 de mg Red Yeast Rice a que corresponderá entre 5 a 10 mg de Monacolin K.


Efeitos secundários do Red Yeast Rice
Tal como os fármacos da família das "statinas”, e porque atua inibindo a mesma enzima, a toma de Red Yeat Rice provoca:

Diminuição da Coenzyma Q 10
Fraqueza e dores musculares

Precauções na toma de Red Yeast Rice

A toma de Red Yeast Rice pode ter toxicidade hepática nas pessoas com maior vulnerabilidade da capacidade hepática de desintoxicação, pelo que não deve ser tomado em simultâneo com outros fármacos hepatotóxicos nem por quem tenha qualquer doença hapática.

Não deve ser tomada em simultâneo com qualquer fármaco da família das "statinas” porque sobrepõem os seus efeitos.

Não deve ser tomada durante a gravidez e amamentação por falta de estudos de segurança.

Quando se toma Red Yeast Rice não deve comer ou beber toranja. A toranja interfere com a velocidade do metabolismo dos fungos podendo aumentar a quantidade dos seus metabolitos.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e s
ustentável.


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a