Eu e o meu corpo Filomena Vieira

Saiba como melhorar os sintomas do acne

Os micróbios intestinais podem contribuir, directa ou indirectamente para o processo do desenvolvimento da acne, através do efeito sistémico da inflamação, do stress oxidativo (saiba mais), do controle da glicemia, dos níveis de lipídios, dos neuro peptídeos e neurotransmissores reguladores do humor (saiba mais).

O aparecimento de acne pode trazer consequências muito graves a nível psicológico como a diminuição da auto estima e a depressão. Esta doença afecta mais os adolescentes mas pode surgir a partir dos 40 anos.

A acne apresenta-se de varias formas, de ligeira a grave, afectando com mais frequência a face, mas pode atingir o tronco. As lesões mais graves podem deixar cicatrizes. A causa pode ser genética e hormonal. O tipo de alimentação tem um papel muito importante.

Existe uma teoria antiga, com 70 anos, proposta pelos dermatologistas, em que a pele seria influenciada pelas emoções, sistema nervoso central e intestino e utilizaram como tratamento, preparações com Bacillus Acidophilus, óleo de fígado de bacalhau, que mais tarde seriam chamados probioticos (saiba mais) e fonte de ómega 3 (saiba mais).

Estudos experimentais demonstram que o stress psicológico diminui o trânsito intestinal e predispõe para a replicação de bactérias patogénicas causando danos na barreira intestinal. A permeabilidade intestinal nos doentes com acne pode estar comprometida e a obstipação é o sintoma mais prevalente nestes doentes.

Os probioticos têm acção no stress oxidativo (saiba mais) por regularem as citoquinas inflamatórias, e reduzem a interleucina 1-alfa e o seu uso com coadjuvantes no tratamento da acne parece ser útil.

A aplicação tópica de Lactobacillus bulgarius e de Streptococcus termophilus, podem aumentar a produção de ceramide. Bifidobacterium langum e Lactobacillus paracasae podem atenuar a inflamação da pele, reduzindo o neuropeptideo substancia P, produzido numa situação de stress, sendo responsável pelo aumento da inflamação e produção de sebo.

Probioticos (saiba mais) aumentaram os níveis de triptofano, serotonina (saiba mais) e dopamina no córtex frontal e sistema límbico (saiba mais), e reduziram a apoptose, durante stress fisiológico experimental. Bifidobacterium diminui a actividade da monoaminoxidase e deste modo aumenta os níveis de neurotransmissores nas sinapses. Peptídeos como a substancia P fazem a comunicação com intestino–cerebro- -pele.

Descobriu-se que cérebro e pele têm a mesma origem embrionária.

Outro mecanismo através do qual probioticos influenciam o humor, é a capacidade de controlar a glicemia e os níveis de insulina. Há relação entre insulino-resistência e elevado risco de depressão.

Estudos recentes demonstram que a acne está relacionada com o consumo de carbohidratos pobres em fibra, doces, e gorduras com baixo índice nutricional, assim com está documentado um período de insulino-resistência na adolescência, que coincide com desenvolvimento de acne, depressão e ansiedade. Há quem proponha a existência de "acne-personality”.

O consumo diário de leite está associado ao aumento de acne, devido a factores de crescimento, IGF-1, factor insulina-like, que pode ser absorvido através do cólon. O leite fermentado parece escapar a esta associação.

Potenciais vias do eixo intestino-cérebro-pele na acne vulgaris

 


Estudos recentes relacionam melhoria dos sintomas depressivos, diminuição dos níveis da hormona do stress, cortisol, em doentes medicados com probioticos que contêm Lactobacillus casei, Lactobacillus helveticus e Bífidobacterium longum.


EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

 

Fonte:

0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a