Está a tomar…? Cristina Sales

Se está a tomar Omeprazol ou outro inibidor da bomba de protões...

O Omeprazol é um medicamento que diminui a acidez no estômago.

É prescrito para o tratamento de úlceras gástricas, gastrites, refluxo gastroesofágico e esofagites.
O Omeprazol pertence a uma categoria de fármacos genericamente denominada inibidores da bomba de protões a que pertencem também o Lanzoprazol, Esomeprazol, Pantoprazol, Rabeprazol, Timoprazol e Picoprazol.
A sua ação terapêutica exerce-se sobre a mucosa gástrica diminuindo consideravelmente a normal produção de acido clorídrico por esta mucosa.

A presença de ácido no estômago é indispensável para o correto processo de digestão dos alimentos, nomeadamente das proteínas.
A diminuição da acidez no estômago vai condicionar a capacidade de digestão dos alimentos, diminuir a absorção de alguns nutrientes levando a défices importantes que importa prevenir.

A toma prolongada de Omeprazol está associada a deficiência de vitamina B12 que pode ter repercussão clínica mais grave nas pessoas idosas, sendo nestas recomendada a avaliação laboratorial dos níveis de vitamina B12 no caso de toma prolongada destes fármacos.
A deficiência de vitamina B12 pode favorecer a elevação dos níveis de homocisteína, o que é mais um fator adverso para a prevenção das doenças cardiovasculares e neurológicas.

A toma prolongada de inibidores da bomba de protões pode ainda provocar ou agravar deficiência em magnésio, um dos mais importantes minerais do nosso organismo.
Além disso, a acidez do meio gástrico contribui de forma muito importante para matar os microrganismos, bactérias e fungos, ingeridos juntamente com os alimentos, e que não estão adaptados a sobreviverem em meio ácido, impedindo a sua progressão para o intestino. Se este tipo de bactérias e fungos invadem e proliferam no intestino delgado podem dar origem a alterações da flora intestinal,  permitindo o desenvolvimento de germens oportunistas e podendo estar na origem de colites por vezes dificilmente diagnosticadas.

Se foi medicado com Omeprazol, ou outro fármaco desta classe terapêutica, deve cumprir o tempo de medicação indicado pelo seu médico e não o prolongar sem vigilância médica. Se sentir algum mal-estar digestivo ou queixas intestinais deve informar o seu médico.

Se está a tomar Omeprazol, ou outro fármaco desta classe terapêutica, pode e deve prevenir o défice nutricional de vitamina B12 e de magnésio tomando, de forma regular, um suplemento nutricional de vitaminas B e magnésio.

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

Este texto foi publicado em 2013-02-14 na Quinzena Glúten & Glúten free


1 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a
Hipócrates
29 de Novembro de 2014 às 14:59
“É um medicamento seguro, mas que está a ser sobreutilizado”, sustentou, afirmando que há quem o use como protector gástrico quando está a tomar outros fármacos, mas sem necessidade, pois nem todos os medicamentos são lesivos para a mucosa do estômago. Além disso, acrescentou, o facto deste fármaco ser um protector gástrico não significa que seja esta a sua indicação médica e muito menos deva ser usado como minimizador de efeitos associados a indisposições gástricas.

Um estudo recentemente publicado na revista científica da Associação de Médicos Americanos atribuiu à ingestão prolongada deste fármaco e de outros semelhantes uma carência da vitamina B12. A investigação refere que as pessoas que tomaram diariamente um medicamento do grupo do omeprazol durante dois ou mais anos tinham 65% mais de probabilidades de ter níveis baixos de vitamina B12 (que tem um papel importante na formação de novas células) do que os que não ingeriram o fármaco.

Confrontado com este estudo, o Infarmed indicou que “a possibilidade de redução da absorção da vitamina B12 em terapêuticas a longo prazo com omeprazol foi já identificada há vários anos, especificamente actualizada na informação do medicamento desde procedimento de arbitragem a nível europeu em 2010”.

* Declarar reacções adversas

https://www.ordemdosmedicos.pt/?lop=conteudo&op=85422afb467e9456013a2a51d4dff702

A OM considera essencial aumentar o controlo de qualidade dos medicamentos. Nesse sentido, apela a todos os Colegas que se mobilizem para a defesa dos seus Doentes, nomeadamente através do simples preenchimento deste formulário, sempre que sejam detectadas reacções adversas de quaisquer fármacos, quer resultantes de um fármaco específico, quer resultantes de troca de medicamentos.

Seguidamente a OM fará o seu reenvio ao Infarmed, assegurando o tracking da notificação com o intuito de garantir que se obtém uma resposta formal da entidade responsável pelo controlo da qualidade dos medicamentos.

O contributo dos médicos permitirá à OM uma comunicação mais eficaz com o Infarmed e um aumento da segurança para os Doentes. A Ordem dos Médicos mantém-se empenhada em defender a Qualidade na Saúde e, como tal, os Doentes.

* Juramento de Hipócrates

Não permitirei que considerações de religjão, nacionalidade, raça, partido político, ou posição social se interponham entre o meu dever e o meu Doente.
Guardarei respeito absoluto pela Vida Humana desde o seu início, mesmo sob ameaça e não farei uso dos meus conhecimentos Médicos contra as leis da Humanidade.
Faço estas promessas solenemente, livremente e sob a minha honra.