Eu e o meu corpo Luzia Alves

Somos seres de água



Somos seres de água pois na nossa constituição temos entre 60 a 70% de água e somos seres da água na medida em que o embrião humano se desenvolve num meio aquático, o líquido amniótico. Este, entre outras funções, permite o movimento do feto e a consequente estimulação dos músculos, além de que também o protege dos traumatismos.
 
Estes dois aspetos, de estimulação e simultaneamente de proteção, são muito importantes nos processos de recuperação do aparelho músculo-esquelético.

A força de impulsão da água permite anular uma parte da força da gravidade sobre o corpo, de modo que a pressão sobre as articulações é diminuída e o impacto é substancialmente reduzido.

O movimento torna-se mais facilitado, permitindo que as amplitudes articulares sejam melhoradas e o fortalecimento muscular se faça sem sobrecarregar as articulações. Tais ocorrências ajudam bastante nas patologias de coluna e nas artroses, por exemplo.
 
A coordenação do movimento pode igualmente ser trabalhada e, por isso mesmo, a sua aplicação também se faz nas patologias ligadas ao sistema nervoso como na paralisia cerebral, traumatismos crânio-encefálicos, etc.

O exercício, associado à pressão que a água exerce sobre o corpo (tensão superficial), vai provocar um aumento da frequência cardiorespiratória estimulando estas duas funções. A temperatura da água usada com fins terapêuticos varia entre os 34ºC e 38ºC. Esta temperatura permite um efeito sedativo e relaxante além de provocar uma vasodilatação periférica que provoca uma hipotensão.

Por essa razão, as pessoas que têm tensão baixa deverão ter cuidado. Devem sempre referir esse facto e limitar o tempo de permanência na água quente. Quem sofre de perturbações vasculares do tipo varizes ou derrames não se deve sujeitar a estas temperaturas pois agrava tais condições.




Naturalmente que existem outras contraindicações, mas as anteriormente mencionadas são as esquecidas com mais frequência pela própria pessoa e, por isso mesmo, é importante salientá-las. Quando faz um banho de imersão em casa porque precisa de descontrair ou aliviar as dores de costas não esqueça estes aspetos.

Se a razão for vascular, mantenha as pernas fora da banheira. Se tiver alterações de tensão, reduza a temperatura da água e o tempo de permanência na mesma, não faça o banho quando está só e informe que o vai fazer.
 

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável.

0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a