Meditação e enlightment Núcleo de Medicina

Vamos desintoxicar meditando?



A nossa mente agrega emoções, ações e os pensamentos (saiba mais) vão imprimindo imagens a cada segundo tornando-a repleta de informações que muitas vezes são informações tóxicas, desagradáveis e destrutivas.

Para desintoxicar a mente desta poluição amarga e destrutiva que recebemos todos os dias nas nossas conversas, através de tudo o que nos rodeia, especialmente a comunicação social, com nossos ressentimentos e expectativas, podemos lançar mão de vários recursos como a meditação, o relaxamento, a prática da ioga e dos trabalhos de corpo e mente.

Exercícios com imagens mentais são uma forma eficaz de conseguir um resultado rápido e imediato. Porque eles também agem como uma forma de desintoxicar a mente, de criar espaço para que o novo se instale e aconteça.

A prática regular de meditação, pelo menos até 8 semanas, pode levar a alterações consideráveis em determinadas regiões cerebrais, relacionadas com a memória, a autoconsciência, a empatia e o stresse. Vários estudos abordam esta temática e são cada vez mais a defenderem esta prática para a melhoria da nossa qualidade de vida (mental). A investigação sugere que a transformação é benéfica para a saúde física e mental e proporciona benefícios cognitivos e psicológicos persistentes durante um dia inteiro.


A meditação altera a estrutura cerebral tornando-a mais eficaz.


Os estudos que encontraram diferenças estruturais no cérebro de pessoas com experiência neste tipo de práticas, em relação a outras pessoas sem antecedentes. As diferenças mais significativas verificaram-se na espessura do córtex cerebral, especialmente em áreas associadas à atenção e integração emocional, na aprendizagem, memória, estruturas associadas à auto-consciência, compaixão e introspecção, e diminuição do stress.

A prática da meditação molda e altera a plasticidade do cérebro e mediante a meditação, este também se molda e altera, de forma a aumentar o nosso bem-estar e a nossa qualidade de vida.

Ainda podemos acrescentar que a meditação influencia neurotransmissores incluindo aumento da dopamina, assim como aumento das concentrações séricas de arginina, vasopressina, GABA, melatonina e serotonina, e diminuição do cortisol e noradrenalina séricas.

Estes achados vêm salientar a importância da espiritualidade no nosso dia-a-dia, não só numa fase de ansiedade ou angústia aguda, ou seja no início da resolução de um problema ou se quisermos ser fiéis a esta temática, no início de uma desintoxicação, mas também como uma prática recorrente para que não tenhamos que recorrer a ela, num estado limite.

Devemo-nos preservar, cuidar, mimar e saber quando parar e como parar!

Aprender a relaxar é um primeiro passo e depois disso, meditar será uma experiência que quando repetida regularmente trará benefícios para a saúde mental e física.

EsmeraldAzul – para uma vida saudável, consciente e sustentável


0 comentários

Entrar

Deixe o seu comentário

em resposta a